sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

CONHEÇA O ASANA: KATI CHAKRASANA

Kati Chakrasana

Kati Chakrasana-Imagem: BYS

Kati Chakrasana é um Asana (posição psicofísica) de pé no qual toda a coluna vertebral é rotacionada em seu próprio eixo. É o mais simples dos Asanas de torção.

Efeitos fisiológicos

Quando as solas dos pés estão bem apoiadas no solo e a pélvis está estática e apontada para frente, o movimento rotacional é meramente nas articulações vertebrais. Cada vértebra rotaciona cerca de 10 graus em relação à adjacente, produzindo uma torção ou rotação em toda a coluna de cerca de 120-130 graus. As vértebras no pescoço são responsáveis por 90 graus da rotação e as da parte inferior das costas por cerca de 30-40 graus. Devido à rigidez da caixa torácica, na região do tórax a rotação é negligenciável. Quando a pélvis não está estática, então movimentos rotacionais no joelho e nas articulações dos tornozelos são adicionados. Os movimentos sincronizados dos braços facilitam o movimento rotacional.

Kati Chakrasana lubrifica todas as articulações da coluna vertebral e alternadamente contrai e alonga músculos selecionados do pescoço, da parede abdominal e das costas. Ele alonga e relaxa vários ligamento e tecidos profundos na coluna vertebral, aliviando dor e rigidez no pescoço, na parte superior e na parte inferior das costas. Este Asana é, portanto muito eficiente para problemas relacionados com as áreas cervical e lombar. Rigidez e fadiga devido a estresse e uso excessivo do pescoço e dos músculos do tronco são aliviados. Esse efeito ganhou lugar no “Yoga do escritório” e no “Yoga na sala de aula para crianças” em combinação com o Tadasana e o Tiryaka Tadasana. É também efetivamente usado na gestão da rigidez muscular nos idosos e em doenças como o Parkinson e o Alzheimer.

Num número reduzido de pessoas com inflamações agudas de pequenos ligamentos da coluna vertebral e com problemas nos discos e na ciática, o movimento rotacional pode ser doloroso e levar a maiores complicações. Nesses casos, a prática de ser interrompida no primeiro sinal de dor.

Os movimentos dos braços causam rotação interna adução nos ligamentos dos ombros. Isso melhora o alcance nos ligamentos dos ombros e é muito eficaz na gestão de “ombros congelados”.

A compressão e expansão alternadas do peito juntamente com a respiração sincronizada encorajam a inalação profunda e a exalação completa. Isso é, portanto útil em doenças respiratórias e em todas as condições em que uma melhora na oxigenação é necessária, como nos idosos, na fraqueza e fadiga generalizada, nas crianças em desenvolvimento, para melhorar a concentração e eficiência e na depressão.

Kati Chakrasana estimula o peristaltismo, encorajando a comida a descer no trato digestivo. Seu efeito compressivo no estômago, especialmente após beber água pura ou salgada e morna, abre a válvula pilórica situada entre o estômago e intestino delgado. O conteúdo do estômago é empurrado através do intestino delgado, o que permite a descida da comida e dos gases no cólon. Ele alternadamente comprime e relaxa o fígado, a vesícula e o pâncreas, juntamente com os outros órgãos abdominais. Dessa forma, estimula a liberação dos sucos digestivos, melhorando a digestão. A combinação de Tadasana, Tiryaka Tadasana e Kati Chakrasana é efetiva par todos os problemas digestivos.

A alternância de compressão e relaxamento da pressão nos órgãos abdominais melhora a circulação de sangue estagnado, que é espremido para fora e substituído por sangue cheio de nutrientes. O funcionamento geral dos órgãos melhora particularmente os rins, pâncreas e suprarrenais. Kati Chakrasana é, portanto benéfico para pessoas que sofrem de desordens nos rins e de diabetes. Compressão no baço espreme um grande volume de sangue, aumentando o nível de energia e a sensação de bem-estar. A mesma ação de espremer hormônios das suprarrenais é adicionada a este efeito.

Quando realizado numa velocidade moderada a rápida, este Asana proporciona uma disposição de alegria e excitamento devido à mobilização e a liberação de energia Prânica (energia vital). Ele eleva o humor em pessoas que são depressivas, lentas ou arredias.

Grávidas acham a pratica muito útil, pois ela permite a respiração correta, remove a fadiga e pequenas dores, proporciona alívio nas dores nas costas e alivia queimação, constipação, indigestão e formação de gases.

O movimento repetitivo da cabeça e do pescoço pode precipitar vertigens e perda do equilíbrio em pessoas suscetíveis devido a uma superestimulação do labirinto, o aparelho do equilíbrio. Aqueles com pressão alta podem não ser capazes de compensar a pressão sanguínea de momento a momento e podem sentir desmaios ou tonteiras. Pessoas nessas condições devem praticar este Asana lentamente e com cautela.

Kati Chakrasana é um dos Asanas mais populares. Ele pode ser praticado tanto como uma pratica de aquecimento, como com aplicação terapêutica ou como componente de uma Sadhana (prática) pessoal para todas as faixas etárias e condições.


Quer saber mais sobre Tadasana - clique na imagem 


Imagem: BSY


Quer saber mais sobre o Asana Tiryaka Tadasana - clique na imagem


Imagem: BSY

http://www.yogamag.net/


segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

ACONTECEU: Projeto "Educando para a Paz" na mídia.

O Jornal do Almoço da RBS-TV, principal Jornal de notícias de Caxias do Sul realizou uma reportagem sobre o Projeto Piloto "Educando para a Paz", dos professores de Yoga do Centro de Yoga Ganapati. São professores afiliados e vinculados aos Projetos Sociais do Satyananda Yoga Center/MG. 

Este Projeto piloto está sendo desenvolvido em uma Escola Municipal de Caxias do Sul/RS, com o objetivo de contribuir no grande desafio dos professores de tornar as aulas mais interessantes para estimular a concentração e facilitar o aprendizado dos alunos. 

Clique no link abaixo da reportagem e perceba a importância desse Projeto, com depoimentos da direção, professores e alunos da Escola. Com uma parada de apenas 5 minutos diariamente para os alunos e  1 hora por semana para os professores é possível melhorar a qualidade de vida de quem participa e o ambiente escolar.


CLIQUE NA IMAGEM E VEJA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA

Clique na imagem e veja a entrevista


Maiores detalhes diretamente no:
ou

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

VIDA ESPIRITUAL - Inspiração Swami Satsangi

Quando começar uma vida espiritual?



O momento é esse é agora, porque dificuldades vão sempre existir 
e não podemos esperar isto acabar para inicar.
Na verdade é no caminho que contém a solução,
ou seja, é "no caminhar" que se 
encontra a evolução.

Swami. Satyasangananda Saraswati

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

SATSANGA SOBRE SANKALPA


Fale sobre o melhor Sankalpa para um encontro espiritual com o Eu, e o melhor Sankalpa para uma pessoa ansiosa e frustrada. Assinado: Hari Om e amor para você.

Resposta de Swami Niranjanananda Saraswati



Você já escreveu seu Sankalpa – “amor para você”. Leve isso para todos os seres, assim todos se tornam 'você'. Esse é o Sankalpa ideal.

O que é Sankalpa? Muitos dizem que é uma afirmação positiva, um pensamento positivo, mas Sankalpa é um processo de treino da mente para desenvolver a intenção e a claridade do pensamento. Através do Sankalpa, aprendemos como treinar a mente para que a intenção se torne viva. Falta-nos força de vontade porque somos indisciplinados por dentro. A maioria de nós, durante a vida, pensa o que deve e não deve fazer. Muitas vezes nos frustramos porque somos incapazes de nos retirar de uma situação que domina nosso comportamento mental. Conseguimos talvez acordar às 4h por uma semana ou um mês, mas somos incapazes de continuar fazendo isso pela vida toda. Você pode fazer por uma semana porque a motivação existe, mas quando o empenho acaba, você diz: "Mais cinco minutos, mais dez minutos. Hoje quero descansar, não é necessário acordar cedo”. Quando o empenho inicial acaba, o indivíduo fica letárgico.

Se tivermos um Sankalpa que mantém a motivação e o empenho, então essa letargia não se estabelece. Mas o Sankalpa tem que desenvolver a força de vontade. Uma afirmação positiva apenas não fará nada. Todos pensamos que deveríamos nos tornar isso ou aquilo. Precisamos nos livrar de um hábito, um temperamento ou uma obsessão em particular. Podemos entender isso racionalmente, mas não conseguimos pôr em prática devido à falta de motivação. O Sankalpa preenche esse vazio na nossa vida.

Não é necessário ter um Sankalpa muito grande. Comece com algo pequeno. Por exemplo, quando eu era jovem, eu costumava dormir de forma tão profunda que os Swamis podiam pegar minha cama e levar para o outro lado do Ashram sem que eu acordasse. Quando eu era criança, esse fato não importava, mas depois começou a ser um problema. Então, eu disse para mim mesmo que, toda manhã, eu acordaria às 4h, e acordei nesse horário só um dia. No segundo dia acordei às 5h; no terceiro acordei às 6h; no quarto, às 7h. Então, tentei descobrir meu padrão natural. Se fosse dormir às 21h, que horas teria que acordar normalmente sem despertador? Descobri que era por volta das 6h, após nove horas de sono. Então, coloquei o alarme para às 5h 55min. por uma semana, depois 5h 50min. na semana seguinte, 5h 45min. na terceira semana e 5h 40min. na quarta semana. Ao diminuir cinco minutos toda semana, minha mente se acostumou com o treino e quando chegou em 4h, se tornou um hábito. Esse é o treinamento do Sankalpa.

Sankalpa não é um pensamento, é um poder, uma força. Aquilo que você pensa é projetado no ambiente. Assim como há ondas de rádio e outras ondas e frequências invisíveis no ambiente que podem ser capturadas com os instrumentos certos, da mesma forma os pensamentos e desejos também têm uma frequência. Negatividade e positividade, pessimismo e otimismo - tudo tem uma frequência. O que você expressa deixa uma impressão no canal da mente e as ondas são transmitidas. Se há uma intensidade por trás de um pensamento, por trás do Sankalpa, por trás da resolução, então o seletor de canal, a marca causada na mente, será mais forte e você conseguirá acessar esse canal com mais frequência e facilidade. É como um canal pré-definido.

O Sankalpa não é apenas um desejo, é uma convicção. É fé em si próprio, fé de que é possível atingir. O Sankalpa não pode ser “Eu queria que fosse assim” ou “Eu queria me tornar assim”. Isso é pensamento ilusório. O Sankalpa é a convicção de que “Eu me tornarei isso". O Sankalpa significa confiar e ter fé em si mesmo, na própria força e coragem. “Eu tenho isso, portanto, posso me tornar isso”.

O Sankalpa não é apenas pensar que você se tornará algo, mas também empenhar-se para se tornar aquilo. Se tiver que ter um Sankalpa positivo na vida das pessoas, para elevar o ânimo e enaltecer a mente, o melhor Sankalpa deve ser feito para sentir amor e ver-se nas outras pessoas. Esse é o Sankalpa que Swami Satyananda tem nos mostrado no estilo de vida que ele lidera. Ele diz que se pudermos nos ver nos outros, se pudermos compartilhar a beleza do verdadeiro amor com os outros, não o amor sensual, então o mundo pode se tornar um lugar radiante. Esse deve ser o Sankalpa final da nossa vida.

Para chegar nesse estado, comece com algo muito básico: mudando os hábitos, mudando as limitações que inibem o seu crescimento. Tente entender você mesmo, observe-se, encontre os bloqueios e supere uma coisa por vez. Não tenha uma ideia abstrata ou um conceito inatingível sem treinamento prévio. As crianças querem crescer rapidamente. Quando vão à escola, elas querem concluir os estudos rapidamente. Mas o importante é ser bom aluno na série em que você se encontra, não se preocupando quando você vai virar adulto e receber o diploma. Se você for bom aluno, você passará de ano e irá para a próxima série.

Foque no presente. Ignore as inseguranças do futuro. Se algo for acontecer no futuro, por que se preocupar agora? Aperfeiçoe seu presente. O problema é que somos tão tensos que nosso passado é tenso, nosso presente é tenso e nosso futuro é tenso. Mas o Yoga nos ensina que o presente tem que ser perfeito.


Ao fazer seu Sankalpa, você deve estar envolto em seus próprios sentimentos e nas expressões do seu espírito interno. Ninguém deve incitá-lo ou guiá-lo para fazer certo Sankalpa. Tente ser verdadeiro ao seu Sankalpa. O Sankalpa não é a resolução de Ano Novo que fazemos todo ano. É dar um passo adiante e, quando isso é feito, dar um passo para trás não tem sentido. Então, o Sankalpa é um passo, não um pensamento, e quando você dá esse passo para realizar o Sankalpa, para sintonizar sua vida, lembre-se que quanto mais positivo, otimista e Sáttvico você estiver, mais forte você ficará e mais adiante prosseguirá.

Fonte:
http://www.yogamag.net

terça-feira, 25 de novembro de 2014

CURSO DE INTRODUÇÃO AO YOGA DO BHAGAVAD GITA


O Satyananda Yoga Center em parceria com o Centro de Yoga Ganapati, informa uma grande oportunidade para iniciar os conhecimentos sobre o Bhagavad Gita, com o 
Professor de Yoga e Psicólogo Devamani (Newton de Assis). 



Horário
  • 12/12: 19h às 21h; 
  • 13/12: 9h às 13h e 14h30 às 19h 
    • almoço deste dia incluído na programação.
    • havan (ritual do fogo) às 18h;
  • 14/12: 9h às 13h.

Do que consiste o curso?

O Bhagavad Gita Sadhana módulo I, consiste do estudo teórico e vivencial dos primeiros seis capítulos do Gita. A abordagem teórica segue os ensinamentos da tradição Satyananda Yoga (Swami Satyananda, Swami Niranjanananda e Swami Satsangi), desvinculada de doutrinas religiosas e focada no estilo de vida. A parte prática envolve o canto de cada capítulo em Sanscrito, vivências e dinâmicas para experienciar os ensinamentos. Para cada capítulo há também um Swadhyaya (perguntas de auto-análise) para o participante do Sadhana situar os ensinamentos em relação à própria vida.

Será entregue aos participantes material contendo:
  • Introdução ao Gita;
  • Tradução dos primeiros seis capítulos;
  • Transliteração para o canto durante o curso;
  • O Swadhyaya de cada capítulo.

Maiores informações diretamente no 
Ganapati Centro de Yoga:
(54) 3536-2348


segunda-feira, 24 de novembro de 2014

ACONTECEU: Aula para alunos do ensino médio em Caxias do Sul

Aula do Projeto do Educando para a Paz

Levar o Yoga para a sala de aula é um meio para ajudar as crianças, adolescentes e os professores a obterem uma melhor qualidade de vida e bem-estar, embora estes ensinamentos tenham como principal objetivo promover a aprendizagem através do desenvolvimento da atenção dos alunos.

Mantendo esse ideal, no dia 07 de novembro, professores do Ganapati Centro de Yoga (que reúne professores afiliados ao Satyananda Yoga Center) localizado em Caxias do Sul, ensinaram algumas técnicas de respiração e relaxamento para 53 alunos do ensino médio de um Colégio da cidade, como parte da preparação para o ENEM e vestibulares.

Essa atividade é parte de um Projeto de prevenção e promoção à saúde no contexto educacional, utilizando técnicas do Yoga, chamado Educando para a Paz. Esse projeto tem como objetivo geral oferecer ferramentas aos professores para lidar com situações de adversidade decorrentes da sua atuação profissional, como stress, ansiedade, etc; e auxiliar os alunos para que tenham um melhor aproveitamento dos momentos de aprendizagem na escola. 

O papel do Yoga na educação é de extrema importância nos dias atuais. Swami Satyananda afirma que: “O Yoga é uma forma completa de educação que pode ser usada com todas as crianças porque desenvolve histamina física, estabilidade emocional e intelectual e talentos criativos. É um sistema unificado para desenvolver a personalidade equilibrada e total da criança. [...] A educação real de ensinar é a educação do comportamento da mente e do cérebro. A maioria dos processos de aprendizagem se dá no nível intelectual. No sistema do Yoga, o processo de assimilar o conhecimento é espontâneo e se realiza nos níveis profundos da mente”. 

Para maiores detalhes sobre o Projeto Educando para a Paz  acesse o site do Ganapati Centro de Yoga - (http://www.ganapati.org.br/p/projetos.html).

Para conhecer mais sobre outros Projetos de Yoga na Educação acesse o site o link do Satyananda Yoga Center – (http://www.satyanandayoga.com.br/site/?page_id=14)


quinta-feira, 20 de novembro de 2014

CURSO DE ESTUDOS E FORMAÇÃO EM YOGA







O Satyananda Yoga Center já está com a programação dos Cursos de Estudos e Formação em Yoga na cidade de Belo Horizonte e Porto Alegre para 2015. Os Ministrantes desse Curso são os representantes da Bihar School of Yoga: Swami Aghorananda e Gangadhara Saraswati. Os Cursos são para as pessoas que desejam aprofundar seus conhecimentos em Yoga ou queiram se instrumentalizar para ser Professores de Yoga.

Este Curso tem como objetivos:

- Proporcionar aos participantes um estudo profundo e consciente sobre a teoria e a prática do Yoga;
- Possibilitar a organização de um processo de prática (Sadhana) pessoal que leve o participantes a descoberta e de suas potencialidades.
- Formar professores de Yoga capazes de transmitir este método milenar com base numa tradição e ao mesmo tempo com uma visão moderna e abrangente.
- Divulgar o Sistema Satyananda Yoga/Bihar School of Yoga/Índia.

As aulas na cidade de Belo Horizonte têm início no mês de Março de 2015, e em Porto Alegre em Maio de 2015. Para maiores informações entre em contato diretamente no Satyananda Yoga Center (BH) ou no Poneshi Centro de Yoga e Meditação (POA). Esta é uma grande oportunidade para você entrar em contato com um dos mais renomados ensinamentos do Yoga da atualidade. 

"O Yoga não é um mito caído no esquecimento. É a herança mais valiosa do presente. É a essencial necessidade de hoje e a cultura do amanhã".

Contato:
(31) 3296-2869

(51) 3311-9307

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

CONHEÇA O ASANA: TIRYAKA TADASANA

Tiryaka Tadasana

Imagem: BSY

Por:
Dr. Swami Nirmalananda Saraswati


O Tiryaka Tadasana (postura da palmeira ao vento) é um Asana (posição psico-física) que tem um efeito leve de alongamento. É o único Asana com uma flexão lateral nas articulações da coluna feito sem amparo do corpo. Um movimento lateral de 2 a 10 graus em cada articulação da coluna produz uma flexão lateral de até 90 graus em todas as articulações juntas.

Efeitos fisiológicos

Este Asana alonga os músculos e as articulações de toda a coluna e dos braços, como o Tadasana (postura da montanha), mas em um grau menor. O efeito nas pernas é mínimo. Entretanto, melhora o crescimento linear em crianças em desenvolvimento.

O Tiryaka Tadasana alonga e contrai os músculos paravertebrais ou do tronco, dando suporte à espinha dorsal contra-lateralmente. Quando os músculos do lado direito se contraem, os do lado esquerdo se alongam e vice-versa, flexionando, assim, a coluna vertebral lateralmente. Alongar e contrair alternadamente alivia tensão e fadiga muscular excessiva, que se dá ao permanecer na mesma posição por muito tempo, como acontece com os estudantes, e pessoas que trabalham na frente do computador e em escritórios.

A sequência Tadasana (veja aqui), Tiryaka Tadasana e Kati Chakrasana (postura de rotação da cintura), popularmente conhecida como TTK entre os praticantes de Satyananda Yoga, é muito útil para crianças na escola. Praticada entre as aulas, alivia a monotonia e estagnação postural, e restaura a concentração e atenção. Essa sequência é um componente importante do 'Yoga no escritório'. O efeito do alongamento nessa sequência é também útil quando o tônus muscular aumenta, como no caso de pessoas sedentárias, idosas e com doenças como Mal de Parkinson e Alzheimer.

Com a flexão lateral leve, ocorre a lubrificação interna da coluna vertebral, que também é nutrida com mais facilidade. Esse efeito traz benefícios para espondilite ou inflamação das articulações da coluna vertebral.

Especialmente em adolescentes e adultos jovens, o Asana pode corrigir escoliose, que é o desalinhamento da coluna vertebral no qual a espinha faz uma curva em S. O movimento do Asana pode reduzir a pressão em um nervo espinhal fisgado em seu ponto de saída da coluna vertebral ou, em alguns casos, pode fisgar ainda com mais intensidade. Portanto, pessoas com nervo ciático ou problemas nos discos intervertebrais devem praticar esse Asana moderadamente, com consciência e a devida cautela.

Quando os braços são levantados e o peso é sustentado principalmente por uma perna na posição final desse Asana, há uma tração forte e estática dos músculos posturais nos ossos relevantes devido à sua contração isométrica. Isso estimula a internalização dos ossos, fortalecendo-os em crianças em crescimento e prevenindo a osteoporose nos idosos.

O Tiryaka Tadasana melhora o funcionamento do processo digestivo e alivia prisão de ventre por estimular o movimento peristáltico. O efeito é maior se o Asana for praticado em combinação com Tadasana e Kati Chakrasana, e após beber água pura e quente. Esse Asana ajuda a aliviar gases do cólon, pois cria, alternadamente, pressão e expansão do abdômen, e é uma parte integral das práticas de purificação e limpeza do Hatha Yoga (Yoga para purificar o corpo e a mente), como o Laghoo Shankhaprakshalana ou Poorna Shankhaprakshalana (limpeza intestinal breve e limpeza intestinal completa, respectivamente).

O Asana também contrai e alonga os músculos que sustentam e envolvem a caixa torácica e que não são comumente usados. O ar sai mais da área lateral do pulmão que é comprimido, que então enche com ar fresco na próxima inalação, melhorando, assim, a ventilação pulmonar eficiente. Ao mesmo tempo, muco das áreas laterais do lobo superior do pulmão é drenado na posição final. Dessa forma, o Tiryaka Tadasana é recomendado no tratamento de asma, bronquite, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e bronquiectasia (dilatação dos brônquios).

Da mesma maneira, esse Asana contrai e alonga os músculos laterais da parede abdominal, comprimindo sangue estagnado nos órgãos abdominais adjacentes, como rins, fígado e baço, que se enchem de sangue fresco uma vez que a contração é liberada. A eficiência funcional e a saúde geral desses órgãos melhoram.

Esse Asana pode ser praticado durante toda a gravidez, tendo efeitos benéficos na digestão, respiração, dor nas costas e dor muscular geral.

A movimentação da espinha dorsal e da cabeça repetidamente pode causar tontura em pessoas vulneráveis que sofrem de espondilite cervical, pressão alta e vertigem.  Aconselha-se cautela e fazer movimentos lentos.

O Tiryaka Tadasana é um dos poucos asanas básicos estabilizadores que pode ser aplicado na maioria das rotinas diárias dos praticantes de Yoga, devido à sua simplicidade e eficiência.

(Para mais detalhes, veja o livro Asana Pranayama Mudra Bandha, publicado pelo Yoga Publications Trust.)




terça-feira, 4 de novembro de 2014

Mensagem de Swami Satsangi

Swami Satsangi em visita ao Brasil no SYC.

" Para manter a paz, o equilíbrio e a harmonia dentro de si, 
o homem moderno precisa das ferramentas do Yoga."

Swami Satyasangananda Saraswati

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

CONCLUSÃO DAS COMEMORAÇÕES DO JUBILEU DE OURO E O NOVO MUNDO DO YOGA





Esse mês de Outubro comemoramos um ano da Convenção Mundial do Yoga e o Jubileu de Ouro da Bihar School of Yoga. Conforme Swami Niranjanananda essa Convenção foi um marco para a tradição de Satyananda Yoga e muita coisa já está sendo trabalhado para as mudanças. Disponibilizamos para você o discurso de Swami Niranjan logo depois da Convenção, no qual ele explica esse grande movimento e um vídeo com belas imagens dessa Celebração. 

Hari Om Tat Sat
________________________________________

Swami Niranjanananda Saraswati
Akhara, Ganga Darshan Vishwa Yogapeeth, Munger, 6 de novembro de 2013.

Chegamos ao final das celebrações, que tiveram um ano de duração, do Jubileu de Ouro da Bihar School of Yoga, com um Sri Yantra Abhisheka criado nos solos sagrados de Akhara em comemoração ao Mahasamadhi (liberação final experimentada na partida do espírito para fora do corpo) do nosso Guru Sri Swami Satyananda Saraswati.
A jornada das comemorações do Jubileu de Ouro

A jornada das comemorações do Jubileu de Ouro começou em 2009 no mês de junho, quando, certo dia, Paramahamsaji me disse que o Jubileu de Ouro da Bihar School of Yoga em 2013 estava se aproximando. Ele disse: “Você vai comemorar, certo?", ao que eu rebati: “Claro!” Então, ele falou, em hindi: “Khoob dhoom dham se manana”, que literalmente quer dizer “Comemore com pompa e esplendor”, ao que eu respondi: “Será como você deseja”.
Depois, em dezembro de 2009, Sri Swamiji alcançou Mahasamadhi e não houve tempo para pensar na Convenção. Após a conclusão de todas as formalidades do Shradhanjali (homenagem) para o Sri Swamiji, no dia 6 de fevereiro de 2012, após criar o Sri Yantra Abhisheka em Akhara, fui para o meu quarto e pratiquei Yoga Nidra (relaxamento consciente). Enquanto eu praticava Yoga Nidra, senti que informações eram descarregadas no meu cérebro. Na manhã seguinte, 7 de fevereiro de 2012, chamei uma Sannyasi (renunciante), pedindo-lhe: “Venha com um caderno novo”. Ela veio com o caderno, e eu lhe falei: “Agora sente-se e comece a anotar o que eu disser!” Durante três horas, eu ditei coisas a ela, que preencheu o caderno todo de 364 páginas com o programa completo e detalhado da Convenção, com tarefas para cada dia, semana, mês, departamento e pessoas – tudo foi traçado ali. Depois, falei: “Lembre-me sobre a Convenção depois do Guru Poornima (celebração ao Dia do Guru) 2013.” Até então, tudo o que havia sido transferido ao meu cérebro naquela noite tinha sido anotado.

Sri Yantra Abhisheka - Foto: Avahan 

Em seguida, começamos as atividades de preparação do Jubileu de Ouro e da Convenção Mundial de Yoga, e eu pensava qual deveria ser o tema de tal Convenção. A tradição e a cultura espiritual e Yogi na Índia se tornou como uma enorme árvore baniana (árvore típica indiana) - em sua sombra, os Yogis meditam, mas também em sua sombra os ladrões, assaltantes e bandidos contam o dinheiro que roubaram. É a grande sombra da espiritualidade, sob a qual todos nós sentamos. Alguns sentam-se como Tapasvis (aquele que pratica austeridades ou penitência), Yogis (adepto do Yoga) e Sadhakas (praticantes), outros sentam-se como oportunistas comerciais, para divulgar suas próprias agendas.

A pureza da tradição e dos ensinamentos
Pertencemos à uma tradição cujos corpos luminosos sentam-se como Tapasvis, Yogis e Sadhakas na grande sombra da espiritualidade. Isso se vê desde os tempos do nosso Paramguru (Guru do nosso Guru), Sri Swami Sivananda Saraswati. Nada do que ele fez foi para ter ganhos comerciais através de sua sabedoria, seu conhecimento e seu poder. Embora fosse uma pessoa muito popular e famosa, houve épocas em que não havia nada para comer no Ashram (comunidade Yogi). Seu lema e ideal era serviço sem apego aos resultados e nenhum acúmulo de bens nem poder para si próprio. Ele foi um Tapasvi, um Yogi, um Siddha (ser realizado) e um Sevak (praticante de Seva – serviço voluntário).
Esse mesmo espírito vemos resplandecer em nosso Guru, Sri Swamiji. Apesar de ter todas as opções e oportunidades para “se tornar o Messias”, ele escolheu o caminho da Tyaga (renúnica), Tapasya (disciplina rigorosa), Yoga e serviço desinteressado (sem apego aos resultados). Ele não desejou nada para si próprio, ou para seu próprio status, nome ou fama. A única motivação em sua vida, e a única inspiração que ele teve para todos que com ele entraram em contato, era a de trazer um sorriso de felicidade aos rostos das pessoas e enxugar as lágrimas de dor e tristeza.

Esses Tapasvsis e Siddhas criaram a base para a propagação do Yoga e da espiritualidade, o que a Bihar School of Yoga fez nos últimos 15 anos e continua fazendo. É uma base muito sólida e esperamos que as gerações futuras mantenham a pureza, a divindade, e os aspectos clássicos e tradicionais da espiritualidade e do Yoga. É isso o que permanece, não os extras, não os suplementos que as pessoas adicionam ao tema espiritualidade ou Yoga. Todos esses suplementos, na forma de Yoga quente ou fria, Power Yoga (um dos estilos de Yoga) ou não, são somente indicações de uma mentalidade: ser identificado de maneira diferente, ganhar nome e fama, e ser guiado por motivações financeiras e comerciais. Essa é a realidade, a verdade.
Portanto, se alguém quiser ajudar a comunidade em uma tradição ou na ciência, é importante ter Vidya (conhecimento), para que a pureza, integridade e divindade da tradição e dos ensinamentos sejam mantidas.  Caso contrário, apesar de todos os Vidyas do mundo, não haverá salvação, nenhum crescimento e nenhuma evolução para a humanidade. A Bihar School of Yoga e o Ganga Darshan Vishwa Yogapeeth têm tentado manter os sistemas e ensinamentos de espiritualidade e Yoga puros e intactos, sem as influências e as imposições das pessoas e da sociedade, como ensinados pelo Sri Swami Sivananda.

Se você vier para Ganga Darshan, lembre-se que este é um lugar onde disciplina e cultura Yogi têm que ser absorvidos. Não é um lugar para passar o tempo na forma de vida espiritual. Essa é a inspiração que vemos na vida do Sri Swami Sivananda e do Sri Swami Satyananda, e é a base da tradição da Bihar Yoga, de Ganga Darshan Vishwa Yogapeeth, Munger.
O desenvolvimento do Yoga

Nos últimos 50 anos, Yoga se tornou uma palavra familiar. Cinquenta anos atrás, o Sri Swamiji proferiu que o Yoga seria a cultura do amanhã. Cinquenta anos atrás, o Sri Swami Sivananda anunciou a missão: “Espalhar o Yoga de porta em porta, e de costa a costa”. Passaram-se 50 anos desde o pronunciamento dessa missão, e o Yoga foi de porta em porta e de costa a costa – como uma prática, um modo de vida, um tema acadêmico, um tema de pesquisa, e um tema a ser implementado na vida de uma pessoa. Yoga se tornou uma palavra familiar. A missão dada para o Sri Swamiji por seu Guru Sri Swami Sivananda foi realizada: não falta mais nada e a missão foi concluída e finalizada.

Aula de Yoga na BYS

Durante esses 50 anos, também vimos o desejo e o pronunciamento do Sri Swamiji de que o Yoga se tornaria a cultura do amanhã, visto que um número maior de pessoas ficariam cientes do que o Yoga tem a oferecer - não somente em termos de prática e saúde física, mas também para a saúde e prática mental, e para ciência espiritual e prática espiritual. As pessoas estão percebendo que o Yoga não é uma religião, e o que o Yoga almeja é diferente do que a religião almeja.
Muitos tipos de Yoga surgiram no mundo, alguns focando no aspecto físico, outros no aspecto mental, e alguns concentrando-se no aspecto pseudo religioso e espiritual do yoga. Entretanto, nesses últimos 50 anos, durante os quais fui testemunha do desenvolvimento do Yoga no mundo e vi o esforço feito para a propagação do Yoga por parte do meu Guru e outras pessoas que o seguem, incluindo eu, descobrimos que, mesmo hoje, o entendimento sobre o Yoga é incompleto tanto no Oriente quanto no Ocidente.
Se olharmos para a sociedade e os estúdios e Centros de Yoga que existem na Índia e em outros países ao redor do mundo, o que eles estão fazendo, o que estão ensinando? Estão ensinando Hatha Yoga (em geral, as posturas) para diminuir a cintura: isso destrói a finalidade do Yoga. Ensinam Asanas (posições psicofísicas) e Pranayama (técnicas de respiração) para a saúde: isso também destrói a finalidade do Yoga. Se olharmos para os centros de Hatha Yoga (Yoga para purificar o corpo e amente) ao redor do mundo, eles estão ensinando apenas 1/10 do Yoga. Os centros de Raja Yoga (Yoga do despertar da consciência através da meditação ) no mundo estão apenas ensinando 1/10 do Yoga. Os centros de Gyana Yoga (Yoga do conhecimento) estão apenas ensinando 1/10 do Yoga, e o mesmo para os centros de Bhakti Yoga (Yoga da devoção) ao redor do mundo. Quantos centros há no mundo que ensinam o Yoga holístico, conforme concebido pelo Sri Swami Sivananda e propagado pelo Sri Swami Satyananda? Somente alguns. Embora os centros de Hatha Yoga e Raja Yoga venham a desvanecer nos próximos cinco anos, por favor, observe, a necessidade de se praticar o Yoga para o desenvolvimento de uma personalidade humana integrada vai se multiplicar. Nesse aspecto, o Satyananda Yoga tem muito a oferecer e contribuir.
Seriedade, Sinceridade e Comprometimento



Portanto, ao pensar qual deveria ser o tema da Convenção Mundial de Yoga em 2013, eu escolhi três ideias: seriedade, sinceridade e comprometimento para com o Yoga. Estou usando três palavras muito específicas que não são nada abstratas. Sinceridade: vai de cada pessoa saber o quanto entende sobre o Yoga. Se for sincero, a pessoa saberá o que significa, e se não for sincero, jamais saberá o significado da palavra sinceridade.
Seriedade significa se aprofundar em algo. O Sri Swamiji costumava dizer que, se você quer pegar água do solo, não cave 50 buracos de 30 cm cada. Ao invés disso, cave um buraco de 15 metros e você achará água. Os professores e alunos de Yoga hoje são como essas pessoas que cavam cem buracos de apenas 30 cm. Portanto, elas ainda não são iluminadas, ainda não despertaram sua Kundalini (energia espiritual adormecida), e ainda não conseguem encarar seus próprios humores e estresses, apesar de estarem envolvidas com o Yoga há 20, 30, 40 anos. As pessoas ainda não têm esse controle sobre os Vrittis (perturbações da mente). Por isso, seriedade, sinceridade e comprometimento têm que se tornar palavras que todo aspirante de Yoga segue e exala e vivencia. Este é a declaração da Bihar School of Yoga e Ganga Darshan Vishwa Yogapeeth. A Bihar School of Yoga é o Swami Sivananda, Swami Satyananda e Swami Niranjanananda. É o espírito desses três e de ninguém mais – uma quarta pessoa não será adicionada.
O novo mundo do Yoga

Esta tradição, que nos foi passada do Sri Swami Sivananda para o Sri Swami Satyananda e para nós, vai ser a tradição do futuro.  Anote essas palavras. Esta Convenção é o degrau a ser subido para o novo mundo do Yoga, que se desenvolverá e evoluirá nos próximos anos.  Como resultado desta Convenção, muitas coisas substituirão os velhos sistemas e métodos. Dentro de um ano, você verá os novos métodos e os novos sistemas que serão implementados. Aqueles que seguirem este sistema e esta tradição serão chamados de professores e instrutores oficiais do Satyananda Yoga. Os que não seguirem, mas foram treinados aqui, estarão livres para se auto-intitularem professores de Yoga, mas definitivamente não professores de Satyananda Yoga. Não me importo que poderá haver apenas dez professores de Satyananda Yoga no mundo, enquanto o resto será professores de Yoga. Esses dez terão a responsabilidade de garantir que a divindade e a pureza da tradição não se enfraqueça.
Nos próximos anos, uma nova direção e uma nova motivação serão dadas para todos os aspirantes, professores e alunos de Yoga. Aqueles que tiverem capacidade participarão, e os que não tiverem capacidade serão testemunhas do desenvolvimento de algo muito mais sustentável e importante, muito mais intenso e poderoso, que tocará a vida das pessoas. Esta é a visão da Convenção Mundial de Yoga, esta é a visão da Bihar School of Yoga, cujo Jubileu de Ouro comemoramos em 2013, e esta é a oferenda de todos nós para nosso Guru Parampara Sri Swami Sivananda e Sri Swami Satyananda.
____________________________


Veja o filme com imagens da Convenção:


Fonte
http://www.biharyoga.net

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

ANTAR MOUNA: quatro encontros


Comece o mês de Novembro com uma das técnicas de meditação mais poderosas para o autoconhecimento.



Maiores Informações:
Satyananda Yoga Center
(31) 3296-2869

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

YOGA: A CIÊNCIA DA VIDA


Swami Niranjanananda Saraswati

Texto de:
Swami Niranjanananda Saraswati
Austrália, 1995

Recentemente, conheci duas pessoas, que começaram a me fazer perguntas. A fim de entender o que elas estavam tentando dizer, lhes perguntei: “Descreva o que é isso em minha mão”. Uma delas disse: “Você segura um copo de água metade vazio”. A outra falou: “Você segura um copo de água metade cheio”. Eu sabia que a pessoa que disse que o copo estava metade cheio era otimista, e a outra, que disse que o copo estava metade vazio, era pessimista.

As perguntas que as pessoas fazem nunca mudam. São as respostas que mudam de acordo com a nossa situação, nossas circunstâncias, nosso estado de espírito e nossa capacidade de entender a resposta. Mas as perguntas são sempre as mesmas. Essa é uma característica do ser humano. Como seres humanos, vivemos uma existência linear. Quando progredimos nessa existência linear, esse movimento é conhecido como ‘evolução’. A evolução é vivenciada diariamente, em cada vida, e também na dimensão cósmica onde o infinito é o fator predominante, não o plano finito da existência.

O Yoga entra na vida de alguém em determinado momento para fornecer respostas para a pergunta sobre o propósito de sua existência. Não entenda isso de forma filosófica e abstrata, pois o Yoga não é um sistema filosófico nem um modo abstrato de pensar; ao contrário, é uma forma de pensar muito direta, precisa e clara. O sistema todo do Yoga se dedica a obtermos compreensão da nossa natureza, mente, vida e existência. Portanto, o Yoga é conhecido como a ciência da vida. No entanto, a fim de entender o aspecto pleno do Yoga, temos que dividir o tema em três partes: filosofia do Yoga, psicologia do Yoga e Yoga aplicado.

Filosofia do Yoga


A filosofia do Yoga diz que estamos em um processo constante de evolução. Nossa consciência está constantemente mudando e evoluindo, e essa evolução pode ser vista agora no nível do intelecto. Podemos não compreender algo até que nosso intelecto interfira. Pensamos sobre o assunto, o analisamos, o ponderamos e depois o aceitamos. Quando aceitamos uma situação, não há conflito, mas se não a aceitamos, se não tivermos certeza de algo, há conflito e confusão.

Na nossa condição atual, o conceito de evolução linear está muitíssimo associado ao aspecto do intelecto, ou Buddhi na terminologia do Yoga. É o intelecto que diz: “Certo, entendo isso e, porque entendo, posso apreciá-lo e aceitá-lo” ou “Eu não entendo isso, portanto, vou rejeitá-lo”. É assim que fazemos em nossa jornada da vida. As coisas que aconteceram no passado permanecem conosco na forma de memória, na forma de experiência. Segundo o Yoga, essas memórias e experiências podem ser tanto agradáveis quanto dolorosas. A mente humana gira constantemente em torno dessas memórias e experiências. No entanto, um esforço deve ser feito para sair desse condicionamento terreno.

Yoga Sutra Patanjali

Por que devemos nos afastar do condicionamento mundano? Por causa da evolução. Porque há possibilidades infinitas que estão adormecidas dentro de nós e das quais não temos ciência. Há a possibilidade de obter ciência total em nossa vida, mas não estamos atentos a isso. Obter ciência total é o objetivo do Yoga. A fim de chegar a esse nível, que é o resultado de uma consciência integrada, deve-se haver empenho para alterar certos condicionamentos que inibem e restringem as expressões das nossas mentes e da nossa consciência. Os Yoga Sutras de Patanjali (primeiro tratado sistemático do Yoga) afirmam que o Yoga é a cessação das atividades mentais conhecidas como Chitta Vrittis.




Essa é uma afirmação muito importante do Yoga. As atividades mentais, que são resultado do condicionamento externo, manifesto, social, emocional, pessoal e cultural, têm que ser transcendidas. Quando conseguimos ir além do limite normal de percepção, descobrimos que há outro nível de existência e experiência. Toda a filosofia Yoguica baseia-se na compreensão de que precisamos mudar. Ninguém conseguiu definir 'consciência’. Freud e Jung falaram sobre inconsciente, mas não é a declaração final na psicologia moderna.

O primeiro carro criado por Ford tinha um design muito básico. Suponhamos que ele tenha começado a falar sobre instalar ar-condicionado, o que não existia naquela época. Da mesma maneira, quando o conceito de consciência humana foi discutido no começo do século, os psicólogos lançaram ideias sobre outra consciência, a qual eles chamaram de inconsciente. Entretanto, eles estavam apenas fazendo conjeturas sobre uma atividade pouquíssimo conhecida da consciência total, enquanto o Yoga sempre instruiu que há um grande potencial dentro de nós, o qual recebeu o nome específico de Kundalini.

O despertar da Kundalini, a força cósmica oculta dentro das camadas mais profundas da nossa consciência, é o propósito da vida. Se compararmos esse conceito do Yoga com o entendimento moderno, vemos que muitas das ideias são similares. Neste exato momento, por exemplo, a ciência moderna nos diz que estamos usando somente um décimo das faculdades do nosso cérebro, cerca de 10%, e que os centros restantes estão adormecidos. Isso significa que, no momento, nosso entendimento da natureza humana é muito limitado. Agora conseguimos operar no nível consciente através da mente racional, mas mesmo assim o conceito e a visão da nossa percepção e do estar ciente é muito limitada.  Não somos capazes de harmonizar, entender e ativar por completo o potencial da mente consciente.

Nesse sentido, funcionamos dentro de uma área muito limitada de expressão criativa. Os Yogis afirmam que há um estado de realização completa, mas para alcançar esse nível de existência, tem que haver continuidade na evolução e experiência da consciência. Com essa visão em mente, a ciência do Yoga então evoluiu. Os Yogis e profetas também compreenderam que é difícil um indivíduo descobrir sua própria natureza, e entender, observar e harmonizar as suas próprias expressões. Por que é difícil?

Psicologia do Yoga

Tendemos a vivenciar quatro fatores na vida. O primeiro são os pontos fortes. Cada um de nós tem certos pontos fortes dentro de si. Nosso ponto forte pode ser clareza da mente ou força de vontade, mas ao mesmo tempo, também sofremos com nossas fraquezas inerentes. Essas fraquezas podem ser complexos de inferioridade, diferentes inibições ou falta de força de vontade. Muitas vezes, podemos ver que nossos pontos fortes são ofuscados por nossas fraquezas. Se olharmos objetivamente para nossas próprias vidas no dia a dia, veremos que somos muito influenciados por nossas fraquezas e, como resultado, sofremos de ansiedade, depressão, insônia, raiva, frustração e assim por diante. Não conseguimos administrar os fatores limitantes da nossa vida que se manifestam na forma de fraquezas. Desse modo, surgem problemas psicológicos, mentais e emocionais.

Liberte-se

A ambição e a necessidade são outros dois fatores que influenciam bastante nossa formação psicológica. Todos nós temos certas ambições e elas são os fatores motivadores que nos movem pela vida. Aquilo que almejamos, como status social e uma vida feliz e confortável, e o que desejamos nos tornar são ambições. Além de ambição, há certas necessidades que podem ser físicas, mentais, emocionais, psíquicas ou espirituais. Devido à intensidade do fator limitante na forma de fraqueza, muitas vezes confundimos ambição com necessidade. Sentimos que as ambições são as nossas necessidades, e tendemos a ignorar as necessidades reais do nosso corpo, da nossa mente e das nossas emoções.

Assim, há um conflito em nossas vidas entre pontos fortes e fraquezas, e entre ambição e necessidade. Não conseguimos administrar essas situações com uma mente clara. A fim de nos ajudar, o Yoga novamente entra e diz: “Torne-se ciente”. Essa é a regra básica do Yoga: desenvolva ciência e percepção, de forma que você possa observar si próprio, suas qualidades e seus pontos fortes. É nesse ponto que a psicologia do Yoga realmente começa, fazendo-nos confrontar a mente e ficar em paz com ela. Não existe lutar conosco ou com nossas vidas. Quando ficamos em paz conosco, há aceitação com base na compreensão da natureza humana e da personalidade.

Harmonizando as emoções

É assim que temos que lidar com o que se passa na nossa cabeça. Devemos ver como nossos pontos fortes, fraquezas, ambições e necessidades podem ser complementados, equilibrados e harmonizados. E devemos ver como o potencial criativo da nossa mente (intelecto) e do nosso coração (sentimentos e emoções) pode ser canalizado na direção correta. Paramahamsa Satyananda diz que as emoções são o fator mais poderoso na vida de um indivíduo. Sentimos uma emoção e nos conectamos aos outros de acordo com essa emoção. Quando vemos um estranho, um amigo, um inimigo, nosso filho ou filha, surge uma emoção, um sentimento. Se temos uma crença religiosa, há uma emoção relacionada com essa crença. Ver alguém que amamos e respeitamos desperta um sentimento, uma emoção.

Vivemos em um mundo cheio de emoções. O principal conflito na vida humana deve-se à desarmonia no campo das emoções, não no intelecto. Essa desarmonia às vezes se manifesta na forma de raiva, ódio, ciúme, frustração, amor, afeto, felicidade ou tristeza. Portanto, na nossa vida interagimos, na verdade, nada mais do que com emoções. Quando a razão entra e conseguimos entender a situação adequadamente, então damos um passo e progredimos. A fim de entender o que está acontecendo em nossos corações, deve haver alguma forma de auto-observação. Se você me perguntar o que Yoga significa, eu diria 'auto-observação’.

O Yoga não é apenas um conjunto de posturas físicas que fazemos. Claro que praticamos Asanas (posições psicofísicas), mas essas posições são apenas um aspecto do Yoga. O que esperamos ganhar com a prática de posturas, técnicas de respiração, meditação e relaxamento? Apenas alívio temporário de estresse e ansiedade? O Yoga é definitivamente usado para reduzir o nível de estresse e tensão em nossas vidas. O Yoga é também usado para corrigir a mentalidade destrutiva que se manifesta externamente devido à desarmonia das emoções.

Apenas como exemplo, nossos Swamis visitaram 24 prisões centrais e estaduais em Bihar, Índia, como parte de um projeto de três meses para ensinar Yoga para detentos em prisão perpétua. O objetivo era corrigir a mentalidade negativa desses presos e ajudá-los a desenvolver uma atitude positiva e perspectiva de vida para que pudessem vivenciar harmonia e tranquilidade. Esse projeto importante foi realizado porque o governo reconheceu que o Yoga poderia ajudar essas pessoas. O Yoga tem algo de concreto para contribuir seja na área terapêutica, no tratamento de artrite, câncer ou AIDS, ou na administração de problemas psicológicos.

A necessidade atual

No entanto, mais do que esse alívio sintomático, o Yoga tem algo único a oferecer, que são os recursos para se tornar ciente de si mesmo a fim de evoluir na vida. Essa é a mensagem mais importante do Yoga. É claro que leva tempo para ganhar esse tipo de entendimento, pois temos que passar por certas experiências na vida. Enquanto não passamos por essas experiências, não podemos apreciar a beleza do Yoga. Há muitos cursos disponíveis em diferentes Ashrams (comunidade Yogi) e Centros de Yoga, onde é possível aprender o aspecto físico ou meditativo do Yoga, mas nossa necessidade real é diferente hoje.

Nossa necessidade é de compreender o desequilíbrio na estrutura emocional e harmonizá-lo. Quando conseguimos harmonizar esse desequilíbrio, a qualidade da mente muda. Podemos viver no mesmo mundo, mas nossa visão muda. Se colocarmos óculos cor de rosa, veremos o mundo nessa cor. Se colocarmos óculos pretos, veremos o mundo em cor preta. Se colocarmos óculos transparentes, veremos o mundo na sua cor real. Portanto, o Yoga diz: primeiro de tudo, observe-se. Cada ação, seja ela positiva ou negativa, deve ser realizada estando ciente e atento. Para qualquer coisa que você fizer, certifique-se de que é para desenvolver sua natureza criativa e isso também inspira os outros. Se as ações que você realiza não são construtivas e geram conflito, confusão, dor e sofrimento, esse não é o jeito Yoguico.

As ações que você realiza devem ser inspiradoras para sua própria mente e consciência e para os outros. Quando você consegue induzir um nível diferente de ciência e atenção através das ações que realiza, então essa ação é Yoguica. No entanto, essa ciência e atenção tem que ser combinada com certas disciplinas na vida, as quais têm que ser vistas de uma perspectiva diferente. Disciplina não é uma rotina imposta onde há horários fixos para acordar, para dormir e para comer. O conceito Yoguico de disciplina significa estar em controle das faculdades que você expressa na sua vida e direcioná-las para criatividade e positividade. Esse é o conceito de educação Yoguico.

Entendimento pleno do Yoga



O Yoga tem sido entendido de maneiras diferentes em épocas diferentes. Para muitos de nós, o Yoga era apenas uma série de exercícios físicos, um método para obter relaxamento após passar por situações estressantes, ou um método para aprender meditação a fim de chegar ao centro do nosso ser mais íntimo. Entretanto, falhamos em todos esses objetivos porque nunca atingimos um entendimento pleno do Yoga nas nossas vidas nem mesmo em nossa própria interpretação pessoal. A fim de auxiliar nesse processo de desenvolver um entendimento pleno do Yoga, estabelecemos o Bihar Yoga Bharati, esperando que se tornará a primeira universidade de Yoga do mundo. Esse instituto oferece, no momento, cursos de formação e especialização em filosofia do Yoga, psicologia do Yoga e Yoga aplicado, e, no futuro, haverá cursos de ecologia do Yoga e ciências ambientais e vários outros temas que abordam integração e harmonização da vida com a natureza e com a consciência cósmica.

É um grande passo dado. Temos que mudar nossa perspectiva e nosso entendimento. Quando conseguimos fazê-lo, o Yoga de fato cria raízes em nossas vidas. Sannyasa é um estilo de vida que eu e outras pessoas escolheram. O Yoga não tem nada a ver com estilo de vida. O Yoga oferece pensamentos e ideias alternativas para entender a totalidade da vida, e é um sistema de compreensão, e de administração da mente, do corpo, das emoções e de si próprio. É tudo. É esse entendimento do Yoga que precisamos ter para que possamos tornar nossas ações uma expressão criativa da nossa consciência.

Nosso Guru diz que, na vida de cada ser humano, há três faculdades ou qualidades mais importantes: mente, coração e mãos – intelecto, emoção e execução. Quando conseguimos integrar essas três qualidades, nos tornamos um ser humano completo. Esse é o conceito de ser humano completo que Aurobindo chamou de 'super-homem’ e que os Yogis chamam de ‘aquele que se compreende’. Ter compreensão de si mesmo é um evento muito prático na vida de cada pessoa; não é um evento filosófico ou religioso. Yoga é compreender a natureza que governa nossa personalidade individual e também a personalidade cósmica. Portanto, temos que ter muita clareza do que queremos do Yoga. Se quisermos práticas físicas para nos sentir bem, essas práticas existem. Se quisermos técnicas de relaxamento para aliviar estresse e tensão, elas também existem. Temos que parar por aí ou podemos continuar? Podemos prosseguir e esse deve ser nosso objetivo.



Fonte
http://www.yogamag.net
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...